sexta-feira, 25 de fevereiro de 2011

O Morumbi: bairro temático de Foz do Iguaçu dedicado ao futebol. Agregando valor: de olho na Copa II

Já contei na primeira postagem organizada sobre as ruas do Grande Morumbi, que a Avenida Jules Rimet homenageia o francês Jules Rimet, primeiro dirigente da FIFA, idealizador da Copa do Mundo e criador da Taça que leva o seu nome. Disse também que logo após, a Rimet, há uma rua chamada Centenário que por sua vez, homenageia o primeiro estádio onde foi realizada a primeira copa do mundo em 1930. O Estádio Centenário de Montevideu, Uruguai. Acontece que há mais um detalhe. Os sábios iguaçuenses que bolaram esse bairro ou eram fãs de futebol no nível mais alto e enciclopédico que possa existir ou fizeram uma enorme pesquisa que, mesmo hoje, exigiria muita procura na internet, museus e literatura esportiva. Descobriram que o futebol é imenso e que o bairro seria pequeno para homenagear a todo o universo do futebol brasiliero. Por isso, eles usaram um truque interessante. Algumas ruas do bairro tem dois nomes. É o caso da Rua Batatais, aquela que passa pelo Centro de Convivência Escola Bairro Professor Darci Zanatta parte do CAIC. Com a rua, os loteadores quiseram ou efetivamente elogiaram a um time paulista chamado Batatais Futebol Club (FC) no interior do estado. A outra metade da rua se chama Serra Dourada uma honraria ao Estádio Serra Dourada, do governo do Estado de Goiás localizado em Goiânia. A próxima rua passa pelo mesmo fenômeno. Do ponto mais próximo à República Argentina, os loteadores também optaram por dividir a homenagem entre dois estádios e times diferentes. A próxima rua na lista se chama Moisés Lucarelli – homanegem do Morumbi-Foz ao Estádio Moisés Lucarelli (foto), sede oficial da Associação Atlética Ponte Preta de Campinas, São Paulo. Os criadores do bairro em Foz, exerceram seu "direito de criador" e fizeram o Ponte Preta paulista dividir espaço com o carioca Bangu do Rio de Janeiro. A Rua Bangu homenageia ao Bangu Atlético Clube e ao Estádio Proletário Guilherme da Silveira Filho que também leva o nome de Moça Bonita. Gostei da palavra proletário no nome do estádio! O emblema do Bangu aparece aqui à direita. A próxima rua é a Vivaldo de Lima, hoje demolido (foto), o Vivaldão foi um grande estádio construido em Manaus. Em seu lugar está sendo construido outro para atender as necessidades da Copa de 2014. Vivaldo de Lima, a pessoa, foi médico, advogado, professor e deputado federal, e uma das maiores figuras do esporte no Estado do Amazonas. O estádio recebeu prêmio nacional de arquitetura. O Vivaldão durou de 1970 a 2010. As obras de construção do novo estádio estão previstas para terminar em dezembro de 2012. Detalhe não vai mais se chamar Vivaldão! Vai se chamar Arena Amazônia - mas garanto que o povo vai brigar. As próximas quatro ruas são compartilhadas. A Rua Gávea que começa na junção com a Rua Airton Moreira homenageia o Estádio da Gávea, também conhecido como Estádio José Bastos Padilha ou simplesmene estádio do (Clube de Regatas) Flamengo. Já a segunda metade da rua, homenageia o Estádio Major Antônio do Couto Pereira, o nosso Couto Pereira, a casa do Coritiba Foot Ball Club em Curitiba. Vale a acrescentar que o major Couto foi presidente do Coritiba entre 1926, 1927 e entre 1930 e 1933. Foi ele quem começou a construção do Estádio Couto Pereira em 1927. A Rua Laranjeiras, tem esquina com a Avenida República Argentina. Um dos atrativos importantes nessa esquina é a loja do Michimi – que é dirigente desportivo local – e vende material de construção reutilizável. Trata-se de material de segunda mão e onde há muitas surpresas. Eu mesmo, no cumprimento dos três R's. Já comprei lá madeira que pertenceu a alguma casa em Foz, uma ex-banheira do Hotel das Cataratas além de um monte de outras coisinhas entre outras portas e janelas usadas. Chama-se o Baratão. Lá pra frente, a Rua Laranjeiras, passa a chamar-se São Januário - em alusão ao Estádio Manuel Schwartz ou simplesmente Estádio das Laranjeiras. O proprietário do Estádio das Laranjeiras se chama Fluminense. Concluo esta segunda parte da minha homenagem aos idealizadores dos loteamentos Morumbi, destacando dois estádios lembrados por eles. O primeiro é estádio do Canindé - oficialmente Estádio Doutor Osvaldo Teixeira Duarte, que pertence à Associação Portuguesa de Desportos, O Estádio Canindé é lembrado em Foz do Iguaçu pela Rua Canindé, uma das principais do bairro. E destaco, o Estádio do Morumbi – esse é porreta e complexamente lembrado em Foz do Iguaçu. Veja por quê: O bairro do Morumbi em Foz já é uma honraria ao Estádio Cícero Pompeu de Toledo – nome oficial do Estádio do Morumbi que fica no bairro Morumbi em São Paulo e a sede do São Paulo Futebol Clube. É como se todos os estádios do Brasil coubessem no Morumbi. Seriam paulistas os loteadores do Chicão? E por fim, dupla homenagem. Uma das principais ruas transvessais do bairro se chama Pompeu de Toledo. Cícero Pompeu de Toledo foi o presidente do São Paulo FC durante a construção do estádio. Ele morreu antes de vê-lo concluído.

Esta postagem foi acessada por 1.664 pessoas até 20/01/2913

Nenhum comentário:

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails

Hora no Paraguai incluindo CDE

Hora Mundial: passe o mouse sobre o mapa para escolher região